terça-feira, 21 de maio de 2019

FRUTA SORVADA


ACap.

"Retrato de D. José Maria da Silva Pessanha (1865-1939), jovem aristocrata historiador de arte e arqueólogo (publicou em 1904 a "História das Indústrias Artísticas em Portugal"), sentado numa cadeira e com a mão esquerda apoiada numa bengala, olhando de frente o espectador, com um casaco cinzento de surpreendente efeito cromático. Este retrato-miniatura é também o único auto-retrato de Columbano dentro do próprio retrato (FRANÇA, 1988), assomando à direita de um espelho oval, de paleta e pincel nas mãos, citando claramente um seu mestre de sempre, Velázquez." (daqui)

sábado, 20 de abril de 2019

ADELINO Lopes da Cunha MENDES

R.X1930

"... “A minha aldeia é farta, fértil e fria, desconhece a miséria e vive tão satisfeita que não pede nada a ninguém … Povo faminto de trabalho, integrado no ambiente estático em que vive e com ele perfeitamente amalgamado, tem tradições perdidas na voragem das eras mortas e não as esquece nem deturpa. É religioso sem ser fanático. Festeja os seus oragos como quem rende homenagem a pessoas amigas, faz estralejar foguetes às molhadas nos dias álacres das romarias…”

A citação é de Adelino Mendes, emérito jornalista de “O Século” e ilustre reguengueiro, pronunciadas na noite de 14 de Março de 1940, em Conferência proferida na extinta Casa do Distrito de Leiria, em Lisboa. Os 502 anos que passaram desde a criação da paróquia do Reguengo do Fetal foram testemunhas de mudanças na caracterização desta comunidade, mas o seu cunho devoto parece ter-se tornado uma marca indelével. ..." (daqui)

"ADELINO Lopes da Cunha MENDES, Jornalista e Escritor, nasceu na Freguesia do Reguengo do Fetal (Batalha), a 28-10-1878 e faleceu em Lisboa, a 26-08-1963. Era filho de João José Gomes Mendes e de Maria Vitória Lopes da Cunha.

Depois de ter feito os Estudos Secundários em Leiria, iniciou a sua carreira..." (ler+)

ACap.1916

ACap.1917



Jornal da Batalha-2014

domingo, 14 de abril de 2019

IN MEMORIAM






"Podemos sentir saudades de alguém que nunca chegámos a conhecer? Respondo a mim mesmo e digo sim, eu que antes de saber quem foi Acácio de Paiva, poeta, prosador, crítico, jornalista, aprendi as suas feições magras de jovem descabelado e olhar inquieto nas fotografias das paredes da Casa das Conchas, no Olival da minha infância, que foi o Olival de tanta da sua vida. Era um avô antigo, de um outro tempo, de uma margem da existência que me foi tocando aos poucos, mais velho que sou dos seus quinze bisnetos, ele que foi pai de filho único e avô de nove netos com 23 trinetos crescendo por aí com um chamado contínuo do termo de Ourém que ele descreveu num dos seus versos.
...   ...   ...
de Leiria, a cidade onde nasceu no dia 14 de abril de 1863, no Largo da Sé. Os pais, José de Paiva Cardoso e Leopoldina Amélia Carolina Telles, deram-lhe o nome completo de Acácio Sampaio de Telles e Paiva. Tratou de o reduzir. Mas mais tarde.
...   ...   ...
(ler+)

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Nomeações


ACap.

"Vasco Borges ComC • GCC (Lisboa, 23 de Setembro de 1882 — Lisboa, 19 de Novembro de 1942) foi um magistrado e político,..." (ler+)

domingo, 10 de março de 2019

ANTÓNIO-PEDRO VASCONCELOS


"António Pedro Saraiva de Barros e Vasconcelos GOIH (Leiria, Leiria, 10 de março de 1939) é um cineasta e escritor português. ..." (ler+)


quarta-feira, 27 de fevereiro de 2019

S. MARTINHO DO PORTO

ACap.

"... Francisco Perfeito de Magalhães e Menezes, 2.º Conde de Alvellos, era filho de José de Magalhães e Menezes, 1.º Conde de Alvellos e de sua mulher D. Ana Adelaide Perfeito de Aragão Sauzedo, da Casa da Corredoura. . ..." (ler+)