terça-feira, 16 de agosto de 2011

A nossa Padroeira

Ontem, 15 de Agosto, realizou-se a festa em honra de Nossa Senhora da Encarnação, Padroeira da cidade de Leiria. Digamos que, muito embora o evento não estivesse absolutamente deserto, tempos houve em que a frequência era MUITO MAIOR- o Santuário enchia-se de povo, peregrino ou não, mas todo festivaleiro, fazendo lembrar, em quantidade e emoção, qualquer festinha do T.C., adivinham quem?... É claro que muito contribui para este abandono das nossas mais genuínas manifestações populares o facto de haver uma divulgação mínima, para não dizer inexistente..., para além, é claro, das enormes transformações sócio-culturais que temos vindo a sofrer nos últimos 40 anos que, entre outras, operaram uma incompreensível americano-estrangeirização das massas... nacionais. Mesmo assim, creio que muito mais gente teria comparecido, se ao menos tivesse sido lembrada a celebração ou, lembrando-se a gente, tivesse acesso ao programa das festas que inutilmente procurei neste enorme repositório de Informação que é a Net. Não a tendo encontrado, mesmo assim não desisti e lá fui à sorte, com o que só ganhei porque, afinal, para além da Missa Solene, que encheu de devotos o Santuário, houve de seguida um Concerto pela Filarmónica dos Pousos e ainda a actuação do Rancho da Região de Leiria - tudo do melhor e de graça, quer dizer, gratuito, i.e., sem Ivas nem Irss, Imis... nada!... o que, nos tempos que correm é de suprema importância, mais ainda dada a elevada qualidade tanto dum como de outro agrupamento que abrilhantaram a tarde a ameaçar chuviscos... Uma tarde que valeu muito a pena, pese embora o facto de outra falta me ter causado alguma saudade e mágoa, a falta dos belíssimos andores repletos daqueles maravilho-gostosíssimos "bolos de festa", em forma de ferredura, e também a falta das muitas vendedeiras de pinhões, pevides e tremoços, guloseimas sem as quais não há festa; havia, mas apenas um andor e 3 vendedeiras, ao todo. Sinais dos tempos e... da crise!?...


Como gosto de registar estes momentos bons da vida, aqui ficam, para memória futura,

-1 vídeo, constituído por algumas fotos do belíssimo Santuário, com um fado em fundo musical, interpretado por Zé Freire. O fado intitula-se "As três Padroeiras" e tem autoria de Diogo Pacheco de Amorim e de José Campos e Sousa;


- algumas fotos da Filarmónica dos Pousos e do Rancho da Região de Leiria, que ficam credores da minha gratidão por terem transformado aquela tarde cinzente e tristonha numa radiosa tarde musical!


Até p'ró ano, se Deus quiser. Que a Santa Padroeira nos proteja!




video



video

8 comentários:

  1. Excelente reportagem. Diz muito bem, para memória futura. Que o Futuro dos Leirienses venha a ser ais risonho que o Presente.

    Eu, renegado me confesso, andava por outras paragens.
    Aliás, tenho que ir a Viseu, urgentemente.

    ResponderEliminar
  2. Obrigada pela bondade das suas palavras e que Deus o ouça!... Bem precisamos de um Futuro risonho, mas aqui p'ra nós, que ninguém nos ouve, só por milagre e, tanto quanto sei, já não há Santa bondade milagreira que aguente a tanta humana estolidez...

    ResponderEliminar
  3. Este ano também não fui lá, como sabes. Agora já sei o que por lá andaram a fazer.
    Só 3 vendedeiras de bolos e um andor? A festa está moribunda. E ainda te lembras duns bolos que só lá se encontravam tipo beijinhos. E havia sempre muito melão, digo mesmo um monte de melão a vender. Agora só se enche o Mac Donald's.
    HP

    ResponderEliminar
  4. Parece que houve muita divulgação nas missas. Por isso só quem vai à missa é que soube do programa.

    ResponderEliminar
  5. Pois bem podia ter ido... que beijinhos não vi lá, mas havia, sim, uns bolos em forma de boneco ou uns bonecos feitos em bolo... que já nem me lembrava deles, só quando os vi recordei...
    Espero contar consigo na festa, p´ró ano, HP
    OP
    E, obrigada por comentar!

    ResponderEliminar
  6. Compreendo que tenha havido divulgação nas missas, Anónimo, mas parece-me que a divulgação por outros meios fosse até importante para a comunidade católica, tendo em vista o seu crescimento, cativando pessoas a ir e não apoiando a desistência de muitos; de todo o modo, estas festa não são apenas de cariz religioso, não é?

    ResponderEliminar
  7. É sempre um prazer visitar o seu blog e comentar, quando me apraz. A menina descobre sempre coisas lindas sobre Leiria.
    HP

    ResponderEliminar
  8. Obrigada, Merci, Thank you... HP! Hoje vai tudo correr melhor graças às suas gentis palavras; é bom saber que Alguém nos aprecia e o nosso trabalho.
    Bjinho
    OP

    ResponderEliminar